Comprar

8 de Novembro de 2022

Enquadramento legal do Help Flash em Portugal

O que a lei portuguesa diz sobre a utilização de dispositivos luminosos de sinalização e em que circunstâncias se pode recorrer ao Help Flash?

Em Portugal, em caso de sinistro ou paragem na estrada, o condutor deve sinalizar a sua presença e o perigo através dos seguintes meios:

  • Colocando um triângulo de pré-sinalização e usando o colete retrorrefletor enquanto estiver fora do veículo.
  • O sinal deve ser colocado perpendicularmente em relação ao pavimento e ao eixo da faixa de rodagem, a uma distância nunca inferior a 30 m da retaguarda do veículo ou da carga a sinalizar e por forma a ficar bem visível a uma distância de, pelo menos, 100 m, devendo observar-se especial atenção em locais de visibilidade reduzida.
  • Utilizando luzes de advertência sempre que o veículo representar um perigo.

A legislação portuguesa, à semelhança da espanhola, não impede a colocação de um dispositivo luminoso amarelo no exterior do veículo imobilizado e, por isso, o Help Flash é uma solução possível, cómoda e, acima de tudo, segura.

Em Portugal, como noutros países, as luzes especiais do tipo profissional têm uma utilização limitada e são apenas autorizadas para determinados veículos. O Help Flash é um novo dispositivo não coberto por nenhuma regulamentação de trânsito (exceto em Espanha) e por isso não pode ser considerado um tipo especial de luz profissional.

 

Voltar à listagem de notícias

Notícias relacionadas

18 de Junho de 2021

Técnicas ‘mindfulness’ para uma correta condução

Conduzir pela cidade é, sem dúvida, um verdadeiro desafio. A contaminação visual que inunda a nossa perspetiva com publicidade ou outros fatores externos, adicionando a conduta, em alguns casos inapropriada, dos restantes utilizadores da via, podem gerar distração ao volante. Inclusive o estado anímico no qual nos encontramos converte-se num fator determinante para a condução. A ansiedade ou o stresse podem gerar uma sensação de condução automática na qual não somos conscientes da velocidade com que conduzimos ou do percurso que fazemos. Uma situação realmente perigosa, já que perante qualquer imprevisto na estrada não dispomos da capacidade de reação que necessitamos.

Ler notícia